sábado, 12 de fevereiro de 2011

TÊNIS: Entramos no Ostracismo?


O GRANDE DESAFIO.


Com a eliminação dos brasileiros nas disputas individuais no Brasil Open de Tênis-Bahia e a pouca presença do público na Costa do Sauípe, algumas questões suscitam uma melhor análise.
E graças a um comentário bem oportuno e factual de um amigo e parceiro do Net Esporte, foi colocada a questão do fraco rendimento, ou, como frisado, do fracasso do evento. Ficam então alguns questionamentos a serem revistos.



Estamos passando por um período de fraca qualidade técnica dos tenistas brasileiros? A falta de um nome forte no cenário internacional está diminuindo recursos e patrocínios do esporte no País? Poucas opções e calendário mal elaborado para a América do Sul dificultam e inviabilizam a vinda dos principais tenistas mundiais para o nosso torneio?

Acredito que esses são elementos chave para um primeiro diagnóstico. O certo é que; ainda carecemos de maior apoio e organização para o tênis figurar como um esporte de maior abrangência e visibilidade nacional.

Nomes consagrados como de Fernando Meligeni, Jaime Oncins, Gustavo Kuerten e a eterna Maria Ester Bueno, ajudaram favoravelmente na divulgação e fortalecimento do nosso Tênis, tanto interna quanto externamente. Ainda assim, periclita quando se fala de adesão popular e investimentos.

Para se ter uma idéia, segundo reportagem divulgada no site da Folha de São Paulo, Rafael Nadal e Roger Federer recusaram a oferta de mais de US$ 1 milhão oferecidos para participarem do Brasil Open. Dos 20 melhores tenistas da temporada, apenas Nicolas Almagro aceitou jogar no saibro baiano. Para os bam-bam-bam da bolinha, ainda não vale a pena toda logística e deslocamento para sair da Europa e jogar apenas um torneio, sem falar da pouca pontuação representada no ranking. Com esse panorama, fica difícil prestigiar e comparecer. Será que mudar o evento de Estado, aumentar a premiação ou trabalhar a propaganda e o marketing  resolvem a questão? Agora é com vocês! 




8 comentários:

Ronei disse...

Concerteza, o Brasil esta carente com tenistas brasileiros. Agora um atleta recusar de jogar o Torneio, é porque a coisa não é boa. Rafael Nadal e Roger foram os jogadores que recusaram. Será que eles recusaram por recusar? tenho minhas duvidas.

O Brasil em modo geral, não tem suporte pra fazer alguns eventos importantes, é uma pena..


Ronei
Atlético Mineiro o Blog Vingador
http://atletico-mineiro.blogspot.com/

12 de fevereiro de 2011 15:23
Os craques na rede disse...

Sinceramente, eu não sou nenhum conhecedor do tênis. Sei as regras, gosto do jogo, mas paro por aí. A impressão que eu tenho é que após Guga, o tênis brasileiro nunca mais foi o mesmo.Isto é, não apareceu um novo Guga. Na época em que gustavo Kuerten jogava, o tênis se tornou popular, ele se tornou ídolo e o Brasil viveu momentos mágicos com esse esporte. Mas parece que o legado disso tudo, não foi dos mais favoráveis. Onde está o incentivo, onde está o trabalho do tênis brasileiro? Sinceramente eu não sei, talvez por incompetência minha mesmo.

www.oscraquesnarede.blogspot.com
Twitter: @oscraquesnarede

12 de fevereiro de 2011 23:07
Net Esportes disse...

Muito boa as questões levantadas Jean. Eu fiquei até pensando como é que pode um país que teve Maria Ester Bueno jamais ter visto outra mulher brilhar .... A Venessa Menga ou a Joana Cortez não chegaram nem na unha do pé da Maria Ester ........

Deste jeito não tem nem esperanças de ver outro Guga, e até mesmo sendo eu que falei que o Brasil Open tinha que mudar de Estado para melhorar mudo um pouco minha opinião .... acho que o que falta mesmo é um representante forte do país para atrair a atenção da mídia e consequentemente do público, ontem até passou a final na Band .... sábado a noite ... um torneio que tinha que fazer a final em um domingo a tarde, mas aí e hora do futebol né, aí não da .....

O Nadal e o Federer jamais vão vir disputar um torneio desse, eles Masters e GRand Slam, estão certo, não pode arriscar ficar com uma lesão, colocar em risco a temporada .... torneio desse porte só se for no país deles ou muito mais que um milhão !!!!

13 de fevereiro de 2011 09:04
Jean Francisco disse...

Pois é galera, mesmo vencendo nas duplas, o Brasil ainda está com pouca representatividade no cenário. E nosso amigo do Net Esportes bem lembrou, sejamos sinceros, alguém lembrava ou conhecia as tenistas citadas por ele?
Valeu pessoal, abraços À todos!
Jean.

13 de fevereiro de 2011 10:42
Giovani Mattiollo disse...

O Brasil tem que melhorar muito ainda no Tênis. Boia foi a época do Guga..

Abraço

http://gremista-sangueazul.blogspot.com

14 de fevereiro de 2011 03:42
Cleber Soares disse...

é um espoete difícil pra nós, "coisa de rico", rsrsrs.
mas é uma pena, temos muita gente boa que pode ir muito longe, aqui mesmo em MS temos o Malgarejo que é uma promessa.... mas ainda falta muito incentivo no país do futebol.

BLOG DO CLEBER SOARES
www.clebersoares.blogspot.com

14 de fevereiro de 2011 11:47
Gol de Mão disse...

Infelizmente a safra de bons tenista não se renova como a safra de bons jogadores de futebol. Guga e Ester foram únicos.

Equipe Blog Gol de Mão
www.bloggoldemao.blogspot.com

14 de fevereiro de 2011 15:42
Kaique Pedaes disse...

Gosto muito de tênis, e acho, sim, que o Brasil tem bons tenistas

Porém, eles têm de parar de se tornar promessas para se tornarem realidade

Acho que a Costa do Sauípe é um lugar atrativo para ser disputado o torneio, tanto que muitos sulamericanos comparecem

Porém, se fosse um campeonato de degustação de acarajé, por ser perto de Salvador, teria mais público

Abraço

www.net-esportes.blogspot.com

17 de fevereiro de 2011 15:39